As viaturas de serviço atribuídas a trabalhadores estão sujeitas a IRS. Informe-se sobre a utilização e a aquisição de carros de serviço no IRS.

Cálculo de tributação

Um carro comprado a uma empresa, até dois anos após ter deixado de originar encargos para a empresa, é encarado como rendimento de trabalho. Se a viatura de serviço está prevista por acordo escrito, o benefício atribuído pela empresa torna-se numa remuneração em espécie, sujeita a tributação em sede de IRS. Este rendimento é quantificado a 0,75% do custo de aquisição (ou de produção) por mês de utilização, isto é, 9% por um ano de utilização.

O valor de mercado da viatura é apurado através da aplicação de um coeficiente de desvalorização, relevante para a determinação do rendimento decorrente da aquisição de viatura de empresa.​ Esta desvalorização é anual.

Quanto à utilização pessoal de um carro de empresa, segundo os cálculos do Economias, um carro que custou 20.000 euros, usado durante um ano, corresponde a um englobamento de 1800 euros aos rendimentos no IRS. A aquisição de viatura de serviço exige a inclusão do coeficiente de desvalorização.

Saiba tudo sobre a declaração de carros de serviço no IRS.