Vai começar a trabalhar como freelancer? Evite estes 7 erros

Partimos do princípio que já abriu atividade nas Finanças e que está pronto a trabalhar como freelancer. Vontade não lhe deve faltar, mas toda a motivação que sente pode levar-lhe a cometer alguns erros comprometedores.

1. Não ter um local próprio de trabalho

Em teoria basta um computador com ligação à internet para trabalhar remotamente em casa em trabalhos ligados à escrita, por exemplo. Mas na prática são necessários outros elementos como o isolamento e o conforto.

O que fazer: criar um escritório caseiro com todas as valências necessárias para executar um bom trabalho.

2. Cobrar pouco pelos trabalhos

Arranjar clientes em início de trabalho é complicado, cobrando muitos freelancers um valor mais baixo para o seu trabalho do que a concorrência. O problema que surge é que os clientes vão querer manter esses preços ou então trocar de fornecedor de serviços, ficando o freelancer refém do seu próprio preço.

O que fazer: tenha uma boa noção do que é cobrado no mercado e do que é que torna o seu trabalho diferente dos demais. Estabeleça um preço justo para si e para o seu cliente com base nessas informações.

3. Aceitar trabalhos dos quais não se é grande especialista

Inicialmente um trabalhador pode aceitar variados tipos de trabalho, o que até ajuda ao crescimento profissional. Mas é mais recomendável ser um especialista num determinado campo para apresentar melhores resultados e para ser uma referência na área, a quem os clientes possam recorrer com frequência.

O que fazer: tentar coordenar o trabalho, variando por vezes o tipo de trabalho (quando for vantajoso) mas criando ao mesmo tempo um portefólio dentro de um nicho para ser uma autoridade nesse ramo.

4. Aceitar mais trabalhos do que o devido

A ânsia de começar a trabalhar pode levar o freelancer a aceitar mais trabalhos do que aqueles que ele consegue realmente aguentar, acabando por falhar com alguns compromissos ou entregar maus trabalhos, perdendo-se os clientes.

O que fazer: estabeleça um plano de trabalho, com os trabalhos a realizar e as horas necessárias para cada um deles. Selecione criteriosamente os trabalhos a realizar.

5. Não ter um plano de trabalho

A ausência de horários fixos de trabalho e a facilidade de trabalhar em casa empurram um trabalhador para a falta de planeamento no seu trabalho. Esta desorganização pode levar ao não cumprimento de obrigações e à perda de clientes.

O que fazer: faça um plano de trabalho digital ou físico a respeitar criteriosamente e tente trabalhar sempre às mesmas horas para criar rotinas de trabalho.

6. Contar com os clientes a longo termo

É importante satisfazer e conquistar os clientes existentes (o que permite até aumentar os preços) mas não depender unicamente destes.

Tal como nenhuma empresa se limita aos clientes que tem, procurando sempre aumentar a carteira de clientes, também o prestador de serviços pode e deve alargar o seu leque de clientes (a não ser que tenha um acordo de exclusividade).

O que fazer: escolher um conjunto de clientes especiais e aceitar novos trabalhos quando exequível e vantajoso.

7. Ter uma fraca presença online

O marketing online é descurado pelos freelancers, que preferem procurar trabalho (em vez de serem encontrados), mas é uma excelente forma de obter propostas de trabalho.

O que fazer: criar uma página online e mostrar amostras de trabalho realizado, assim como os serviços prestados e os contactos.

Caso ainda não tenha aberto atividade veja como começar a trabalhar como freelancer.