Tabelas de IRS 2020

Andrea Guerreiro
Andrea Guerreiro
Advogada e Mestre em Direito Fiscal

As novas tabelas de IRS 2020 já foram publicadas. Consulte e descarregue as tabelas em PDF e Excel para saber o valor do seu salário líquido.

Consulte as tabelas de retenção na fonte para 2020

Descarregue aqui: TABELAS DE IRS 2020 (EXCEL)

Descarregue aqui: TABELAS DE IRS 2020 (PDF)

Se preferir, pode consultar o Despacho n.º 785/2020, de 21 de janeiro aqui.

Estas tabelas aplicam-se a trabalhadores dependentes (por conta de outrem) e aos pensionistas de Portugal Continental.

Aplicação temporal das tabelas de IRS 2020

Apesar de só terem sido publicadas no dia 21 de janeiro, as tabelas de IRS 2020 já se aplicam aos vencimentos do mês de janeiro.

As empresas que não consigam processar os salários de janeiro de acordo com as tabelas de IRS 2020, devem fazer, até final do mês de fevereiro de 2020, os acertos decorrentes da aplicação das novas tabelas de IRS 2020.

Quais as alterações às tabelas de IRS 2020?

Em 2020 os contribuintes com salários até € 659 ficam isentos de descontos mensais. Em 2019, não faziam retenção na fonte os trabalhadores com vencimentos até € 654. Em 2018, a isenção era para salários até aos € 632.

As tabelas de retenção na fonte 2020 sofreram alterações para refletir o aumento do salário mínimo nacional, que se fixa em € 635 em 2020, bem como o aumento do mínimo de existência, que em 2020 se espera que seja € 9.215,01, caso se confirme que o IAS sobe para os € 438,81.

Simulações do impacto das alterações em comparação com 2019

Num comunicado do Ministério das Finanças, foram divulgadas várias simulações que ajudam a compreender o impacto (nalguns casos grande, noutros pequeno) das alterações efetuadas nas tabelas de IRS 2020. Eis três dos exemplos de maior poupança mensal:

  1. Um contribuinte solteiro, sem dependentes com um vencimento bruto mensal de 685 euros, descontava 4,4% ao mês em 2019 (€ 30,14), passando a descontar apenas 0,1% em 2020 (€ 0,69). Isto significa que, por mês, chegam à sua conta mais € 29,49 do que em 2019, o que representa um total de € 412,37 por ano.
  2. Um contribuinte casado, único titular, com 1 dependente e rendimento bruto mensal de € 1.225,00, descontava 9,2% em 2019 (€ 112,70), passando a descontar 7% em 2020 (€ 85,75). Esta alteração implica uma poupança mensal de € 26,95 face a 2019, num total de menos € 377,30 retidos ao longo de 2020.
  3. Um contribuinte casado, dois titulares, com 2 dependentes, cujo rendimento bruto mensal seja de € 3.100, em 2019 descontava 29% (€ 899), passando a descontar 26,5% em 2020 (€ 821,50). Trata-se de uma variação mensal de € 77,50, o que representa uma poupança de € 1.085 ao ano.

Exemplo prático de como usar a tabela

Tratando-se de um trabalhador do setor privado, solteiro, sem filhos, residente no Continente, que ganhe 1.000 euros por mês (€ 14.000/ano) a taxa de retenção de IRS a aplicar em 2020 é de 11,6%.

Como chegar a esta conclusão:

  • Comece por identificar a tabela aplicável a "trabalho dependente" e "não casado".
  • Na coluna do lado esquerdo, identifique o grupo salarial em que se inclui o seu vencimento. Se a sua remuneração bruta mensal é € 1.000, escolha a linha "até 1.005,00";
  • Percorra a linha até chegar à coluna relativa ao número de dependentes que tem a cargo (se não tem dependentes a cargo, escolha "0"). A taxa é 11,6%.

Calcular o salário líquido em 2020

Para saber exatamente quanto vai ganhar por mês em 2020 faça o cálculo automático do salário líquido no nosso simulador (apenas para trabalhadores dependentes).

Tabelas de IRS da Madeira e dos Açores

Os Açores e a Madeira têm tabelas de retenção na fonte de IRS próprias, diferentes das aplicáveis em Portugal Continental. As tabelas de IRS 2020 das ilhas ainda não foram publicadas, sendo expectável que o sejam até ao final do mês de janeiro. Estas são as tabelas de 2019:

Tabelas de IRS 2019 dos Açores (Despacho n.º 1056/2019, de 30 de janeiro)

Tabelas de IRS 2019 da Madeira (Despacho n.º 37/2019, de 31 de janeiro)

Andrea Guerreiro
Andrea Guerreiro
Licenciada em Direito e mestre em Direito Fiscal pela Universidade Católica Portuguesa. É advogada, professora e formadora.