Há novas tabelas de retenção na fonte de IRS em 2022, para trabalhadores dependentes, a aplicar aos rendimentos mensais a partir de 1 de março. As tabelas agora publicadas não têm efeitos retroativos a janeiro.

Consulte e descarregue as tabelas em PDF e Excel para saber o valor do seu salário líquido em 2022. 

Consulte as tabelas de retenção na fonte em vigor a partir de 1 de março de 2022

Descarregue aqui as novas tabelas: Tabelas de Retenção na Fonte IRS 2022 - a partir de 1 de março (EXCEL).

Descarregue aqui as novas tabelas: Tabelas de Retenção na Fonte IRS 2022 - a partir de 1 de março (PDF).

As tabelas alteradas são as aplicáveis aos rendimentos do trabalho dependente. As tabelas de pensões não sofreram alterações.

A partir de 1 de março, o seu salário líquido irá aumentar. Quanto ao que "descontou a mais" em janeiro e fevereiro, o Estado "ajustará contas" com os contribuintes no IRS a entregar em 2023. 

De acordo com o Despacho do Ministério das Finanças, as tabelas corrigidas vêm no sentido do esforço de ajustamento entre o imposto retido pelo Estado mensalmente e o imposto efetivamente devido no final do ano. Após reduzir as taxas de retenção nas primeiras tabelas publicadas em dezembro, agora são atualizados os limites dos intervalos dos vários escalões.

Os dois acertos, em conjunto, diz o Ministério, permitem baixar a retenção na fonte da generalidade dos trabalhadores dependentes e, com isso, continuar a aproximar o montante do imposto retido ao imposto a pagar e, bem assim, prevenir situações em que aumentos salariais se possam traduzir no imediato em diminuição de remuneração líquida.

A correção foi efetuada em Diário da República, através do Despacho n.º 2390-B/2022, de 23 de fevereiro, do Gabinete do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais. As anteriores tabelas, publicadas em dezembro de 2021, aplicaram-se apenas em janeiro e fevereiro de 2022.

Consulte as tabelas de retenção na fonte aplicáveis em janeiro e fevereiro de 2022

Descarregue aqui: Tabelas de Retenção na Fonte IRS 2022 - janeiro e fevereiro (EXCEL)

Descarregue aqui: Tabelas de Retenção na Fonte IRS 2022 - janeiro e fevereiro (PDF)

Estas tabelas aplicam-se a trabalhadores dependentes (por conta de outrem) e a pensionistas em Portugal Continental. Se está na reforma e é pensionista, consulte o nosso artigo autónomo Tabelas de Retenção de IRS para Pensionistas em 2022.

Estas tabelas são as corrigidas pelo governo, publicadas em Diário da República a 24 de janeiro, na Declaração de Retificação n.º 56-B/2022 (que substituem as divulgadas em dezembro de 2021, no que se refere a pensões).

Qual o impacto para as famílias, das novas taxas divulgadas pelo Governo?

As tabelas aplicáveis aos rendimentos recebidos a partir de 1 de março, vêm reforçar o esforço de reduzir os reembolsos de IRS por parte do Estado. Ao reduzir taxas de retenção na fonte o "adiantamento por conta de imposto" é menor e, portanto, ou o reembolso em 2023 se reduz ou, nos casos de pagamento de IRS, o valor a pagar aumenta.

Estas são as simulações fornecidas pelo Ministério das Finanças que comparam, para várias situações de contribuintes, o salário líquido com as taxas de janeiro e fevereiro e com as taxas a vigorar a partir de março (salário líquido corrigido 2022). Este é o salário líquido que é depois usado para a comparação com o salário líquido em 2021.

Com o primeiro mapa de simulações, é evidenciado que as atualizações de escalões de retenção na fonte permitirá aos funcionários públicos com aumentos salariais de 0,9%, fazer descer o IRS retido e, assim, ter um acréscimo no salário líquido. Os aumentos no salário líquido (2022 corrigido vs 2021) não são muito expressivos. Ainda assim, um casado com dois filhos, cujo salário bruto haja passado de € 3.150 em 2021 para € 3.541,59 em 2022, verá o seu salário líquido aumentar € 29,80.

Também para trabalhadores sem aumentos, as Finanças apresentam simulações. Um casado, com 2 filhos e um salário bruto de € 4.150, receberá um salário líquido no final do mês, com mais € 83. Um solteiro, sem dependentes, com um rendimento bruto de € 925, terá um aumento no seu salário líquido de € 12,03 por mês (retém menos € 12,03).


Patamares de isenção de imposto para salários e pensões

O valor de salários e pensões a partir do qual se desconta IRS, em 2022, é de 710 euros (686 euros em 2021).

Esta subida de 24 euros no patamar de isenção de IRS, serviu para acomodar a subida do salário mínimo nacional, em 2022, para os 705 euros.

Exemplo prático de como ler as tabelas de retenção

Tratando-se de um trabalhador solteiro, sem filhos, residente no Continente, que ganhe € 1.000 por mês (€ 14.000/ano) a taxa de retenção de IRS a aplicar em 2022 é de 11,3% (era de 11,4% em 2021)

Como chegar a esta conclusão:

  • Comece por identificar a tabela aplicável a "trabalho dependente" e "não casado".
  • Na coluna do lado esquerdo, identifique o grupo salarial em que se inclui o seu vencimento. Se a sua remuneração bruta mensal é € 1.000, escolha a linha "até 1.015,00";
  • Percorra a linha até chegar à coluna relativa ao número de dependentes que tem a cargo (se não tem dependentes a cargo, escolha "0"). A taxa é 11,3%.

Aprenda a consultar estas tabelas, com exemplos concretos, saiba como encontrar a sua taxa de retenção na fonte de IRS e a calcular o seu salário líquido no artigo: Desconto mensal para IRS.

Pode ainda consultar as tabelas de retenção na fonte que vigoraram em 2021:

Descarregue aqui: Tabelas de Retenção na Fonte IRS 2021 (EXCEL)

Descarregue aqui: Tabelas de Retenção na Fonte IRS 2021 (PDF)

Também em 2021, se assistiu a uma redução média das taxas de retenção na fonte na ordem dos 2%. O Governo promoveu a "maior liquidez mensal" ou o "alívio fiscal" para as famílias portuguesas. O que estava em causa era o mesmo objetivo, ou seja, a aproximação da retenção na fonte ao imposto efetivamente pago no ano seguinte (neste caso, no imposto a pagar em 2022).

Calcule aqui o seu ordenado com a nossa Calculadora de Salário Líquido

Paula Vieira
Paula Vieira

Economista pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto. É consultora em processos de fusão e aquisição de empresas, finanças e gestão.