Existem perguntas a fazer na entrevista de emprego, mas também existem perguntas a fazer no trabalho. Como passamos um terço do dia a trabalhar (e um terço da vida), convém garantir que estamos felizes com aquilo que estamos a fazer, gastando o nosso tempo de forma produtiva e recompensante.

“Se hoje fosse o meu último dia, eu gostaria de fazer o que farei hoje?”

Esta é uma pergunta popular utilizada por Steve Jobs que tem uma fórmula eficaz para todos nós: se a resposta é "não" por muitos dias seguidos, então descobrimos que está na hora de mudar alguma coisa. Fazer algo que se gosta é essencial na satisfação no trabalho e na realização pessoal.

Onde estarei daqui a cinco anos?

Esta pergunta é feita em entrevista de emprego aos candidatos, mas ela também deve ser feita ao trabalhador dentro da empresa. O trabalhador tem de pensar se o que está a fazer vai ao encontro dos seus planos, já que o tempo passa rapidamente, sendo necessário planear o futuro e agir com celeridade, caso contrário corre-se o risco de se cair na estagnação no trabalho e no arrependimento, derivado do desperdiçar de oportunidades.

O que faço está alinhado com os meus objetivos?

No seguimento da questão anterior surge este exercício de auto-reflexão. O trabalho atual é um passo importante que pode ditar todo o futuro da carreira profissional. Alinhar o trabalho com os objetivos de futuro é uma preocupação a ter.

Estou a fazer algo com impacto?

No início de carreira esta pergunta não é muito importante, sendo o primeiro emprego uma alegria e os seguintes empregos experiências novas entusiasmantes. Contudo, com o passar dos anos, a questão monetária começa a perder peso, ganhando mais destaque a questão da satisfação pessoal. Fazer algo com significado e impacto deve ser uma preocupação do trabalhador. Deixar uma marca no mundo traz mais valor e alegria do que um pouco mais de dinheiro na conta bancária.

Os meus talentos estão a ser bem utilizados?

Desperdiçar talentos é prejudicial quer para o trabalhador quer para o empregador. Por vezes é preferível mudar de carreira, do que insistir em arrastar a insatisfação numa área de trabalho sem interesse para a pessoa e na qual não se consegue colocar os verdadeiros talentos em prática.

Conheça os sinais de que está preso na sua carreira.

Estou a melhorar a cada dia que passa?

A motivação no trabalho é essencial. O trabalhador que não se esforça diariamente para melhorar os seus resultados e as suas falhas não está realmente a fazer um bom trabalho. Mesmo trabalhando em tarefas mais desagradáveis deve-se aceitar o desafio e testar as capacidades pessoais. Na verdade, não se gostar daquilo que se faz não é um motivo para não se trabalhar bem. Pelo contrário, superar os obstáculos permite crescer profissionalmente e ganhar experiência para trabalhos futuros.

Fique com 5 formas de manter a motivação no trabalho.