Por: João Paulo Moura

Países com mais Impostos

Enumerar os países com mais impostos ou com os impostos mais altos é uma tarefa difícil dada a complexidade e a variedade das leis de impostos, sendo o dinheiro restituído de forma diferente em cada nação.

No entanto, segundo indicadores da OCDE e do Eurostat podemos estabelecer uma comparação e uma lista dos países com mais impostos na Europa.

Ranking dos países com mais impostos

(OCDE - dados de 2014)

  1. Dinamarca - 50,9%
  2. França -  45,2%
  3. Bélgica - 44,7%
  4. Finlândia - 43,9%
  5. Itália - 43,6%
  6. Áustria - 43%
  7. Suécia - 42,7%
  8. Noruega - 39,1%
  9. Islândia - 38,7%
  10. Hungria - 38,5%

Portugal surge em 16º no top dos países com mais impostos, com um valor de 34,4%, exatamente a média da OCDE das receitas fiscais totais em percentagem do PIB.

Lista de países com mais Impostos

Taxa Máxima IRS 2012

  • Suécia: 56,6%
  • Dinamarca: 55,4%
  • Bélgica: 53,7%
  • Espanha: 52,0%
  • Holanda: 52,0%
  • Áustria; 50,0%
  • Reino Unido: 50,0%
  • Finlândia: 49,0%
  • Portugal: 49,0%
  • Grécia: 49,0%
  • Alemanha: 47,5%
  • Itália: 47,3%
  • França: 46,8%
  • Luxemburgo: 41,3%
  • Irlanda: 41,0%
  • Eslovénia: 41,0%
  • Noruega: 40,0%
  • Chipre: 38,5%
  • Malta: 35,0%
  • Polónia: 32,0%
  • Islândia: 31,8%
  • Letónia: 25,0%
  • Estónia: 21,0%
  • Hungria: 20,3%
  • Eslováquia: 19,0%
  • Roménia: 16,0%
  • República Checa: 15,0%
  • Lituânia: 15,0%
  • Bulgária: 10,0%

Assim, os países que mais impostos cobram são os escandinavos, a Bélgica, a Holanda e a Espanha. Nos países de Leste as taxas são já mais reduzidas, numa tentativa de diminuir o incumprimento fiscal e incentivar o investimento estrangeiro. Se por um lado a Suécia exige 56,6% do rendimento à sua população, a Bulgária só pede 10%.

Portugal encontra-se também no top dos países com impostos mais elevados e de acordo com o FMI foi o segundo país do mundo que mais aumentou os seus impostos entre 2009 e 2012: mais de 2,8% do seu Produto Interno Bruto (PIB). À frente de Portugal está apenas a Argentina, com um aumento de 3,5%. Pelo mundo fora só o Japão consegue competir com os países europeus no que toca a esta matéria de impostos, com uma percentagem de 50% de imposto máximo, o que duplica a média asiática.

Taxa Máxima IRC 2012

  • França: 36,1%
  • Malta: 35,0%
  • Portugal: 31,5%
  • Itália: 31,4%
  • Grécia: 30,0%
  • Espanha: 30,0%
  • Alemanha: 29,8%
  • Luxemburgo: 28,8%
  • Noruega: 28,0%
  • Suécia: 26,3%
  • Holanda: 25,0%
  • Áustria: 25,0%
  • Dinamarca: 25,0%
  • Finlândia: 24,5%
  • Reino Unido: 24,0%
  • Estónia: 21,0%
  • Hungria: 20,6%
  • Eslovénia: 20,0%
  • Islândia: 20,0%
  • República Checa: 19,0%
  • Polónia: 19,0%
  • Eslováquia: 19,0%
  • Roménia: 16,0%
  • Letónia: 15,0%
  • Lituânia: 15,0%
  • Irlanda: 12,5%
  • Bélgica: 10,0%
  • Chipre: 10,0%