O que Mudou com o Novo Cálculo da Reforma?

Com o aumento da idade da reforma, houve outras alterações no regime de acesso às pensões. Veja de seguida o que mudou com o novo cálculo da reforma para perceber quanto está a receber ou quanto irá receber ao deixar de trabalhar.

No último dia do ano de 2013 era publicado o diploma com as alterações ao regime geral da Segurança Social. Desde logo, a fixar nos 66 anos a idade normal de acesso à pensão de velhice. Pelo menos, em 2014 e em 2015. A partir daí, poderá haver novas mudanças.

Fator de sustentabilidade alterado

O aumento da idade normal de acesso à reforma reflete a alteração no cálculo. Não da pensão em si, mas do fator de sustentabilidade, um dos denominadores que permitem chegar a esse montante. Foi fixado em 0,8827, traduzindo uma redução no cálculo das pensões na ordem dos 11,73%

Mas afinal como passou a ser calculado este fator de sustentabilidade para gerar essa redução do valor das pensões? A data de referência para a esperança média de vida. Explique-se. Até esta alteração legislativa, o fator de sustentabilidade era calculado tendo por base a esperança médica de vida aos 65 anos, no ano de 2006. Desde o início de 2014, a referência é o ano 2000.

Mas nem sempre é aplicado esse fator de sustentabilidade. Outra das mudanças, com reflexos no cálculo da reforma dos beneficiários da Segurança Social, é o facto de passar a ser aplicado só em casos de reforma antecipada. Seja por iniciativa própria, porque já não pode exercer a atividade ou por via de uma situação de desemprego de longa duração.

Novas alterações até 2018

Para além destas mudanças, a fórmula de cálculo das pensões ainda deverá sofrer novas alterações nos próximos anos. No Documento de Estratégia Orçamental já apresentado pelo Governo está prevista a indexação do valor das pensões aos índices económicos e demográficos do país. A partir daí, e mesmo que já esteja a receber pensão, terá de fazer novos cálculos ao valor da sua reforma.