A gentrificação é o fenómeno de valorização imobiliária de uma zona urbana, causada pela saída de residentes de rendimentos baixos e a entrada de grupos com mais poder económico numa determinada área geográfica.

Quais as causas da gentrificação?

Os movimentos sociais ocorridos aquando da gentrificação têm, geralmente, origem em dois fatores:

  • Mudanças do mercado imobiliário, com alterações significativas na oferta e na procura de casas numa determinada zona urbana;
  • Alteração da regulamentação existente que favoreça ou não a saída de residentes habituais (impactados pelas taxas relacionadas com arrendamento permanente ou alojamento local, entre outras).

Em Portugal, o turismo teve um impacto significativo no processo de gentrificação de áreas urbanas históricas, como Alfama ou Mouraria, em Lisboa, ou a zona da Ribeira, no Porto, tendo aumentado a procura de alojamento local.

Por outro lado, as alterações à legislação relacionada com o arrendamento (como a introdução da Nova Lei do Arrendamento Urbano, em 2012, e da Lei do Alojamento Local, em 2016) favoreceram a criação de alojamento local de curta duração, tornando-se mais rentável para os senhorios o negócio de aluguer a turistas do que o de aluguer de longa duração para residentes.

Quais as consequências da gentrificação?

A melhoria da qualidade de vida e a diminuição das taxas de criminalidade são apontados como os principais impactos positivos. No entanto, são as consequências negativas que têm mais expressão, gerando maior foco de discussão na opinião pública.

Como principal ponto negativo está a deslocação involuntária dos residentes destas zonas que, não tendo capacidade financeira para acompanhar a subida de preços, acabam por habitar outras zonas da cidade.

Por outro lado, a alteração da rede de serviços nestas zonas geográficas, que se focam agora nas necessidades dos novos moradores, faz com que, mesmo os residentes que tenham possibilidades financeiras para ficar, prefiram sair destas zonas, acompanhando os seus pares. Isto porque as redes sociais e de comércio existentes depois do processo de gentrificação não satisfazem as suas necessidades e não lhes permitem ter o mesmo estilo de vida que tinham antes.

A gentrificação é também apontada como a principal razão da descaracterização de zonas históricas, seio das tradições culturais das cidades, e que a longo prazo podem ter um impacto forte no turismo.