Se é casado ou unido de facto saiba se tem de fazer o IRS em conjunto ou em separado e quais as vantagens e desvantagens de cada opção.

Entrega de IRS dos casados e unidos de facto

Desde 2015, os contribuintes casados deixaram de ser obrigados a entregar a declaração de IRS em conjunto. Atualmente, a regra é a mesma para contribuintes solteiros, casados ou unidos de facto: aplica-se o regime da tributação separada. 

Cada um dos cônjuges ou unidos de facto entrega a sua declaração de IRS individualmente, onde inclui os seus rendimentos, a sua parte nos rendimentos comuns e 50% dos rendimentos dos dependentes do agregado familiar.

Contudo, é possível optar pela tributação conjunta preenchendo-se uma única declaração do IRS, onde são apresentados a totalidade dos rendimentos recebidos por todo o agregado familiar e deduzidas todas as despesas suportadas.

Posso mudar o tipo de tributação todos os anos?

Sim, pode optar este ano pelo regime da tributação separada e para o próximo ano optar pelo regime da tributação conjunta, e vice versa, quer seja casado ou unido de facto. Tem total liberdade para, a cada ano, optar pelo que é mais vantajoso para si.

Cada uma destas opções tem as suas vantagens e desvantagens. Fazer o IRS em conjunto é, na maioria dos casos, mais vantajoso, principalmente para os casais em que um dos membros tem rendimentos altos e o outro rendimentos baixos. A média dos rendimentos baixa e permite a aplicação de taxas de IRS mais baixas.

Saiba mais no artigo:

Que taxa de imposto é aplicada aos rendimentos do casal?

Quando um solteiro faz o IRS, os rendimentos das várias categorias são somados e é aplicada a taxa correspondente ao valor apurado

Mas a lógica não é a mesma no caso dos contribuintes casados ou unidos de facto que decidam entregar apenas uma declaração com todos os rendimentos da família. Não basta somar os rendimentos e ir consultar a tabela das taxas. É preciso apurar o quociente familiar ou conjugal.

Saiba em que consiste o quociente familiar no artigo:

Quando entregar o IRS?

Em 2020 o prazo de entrega do IRS é igual para todos os contribuintes, sejam eles casados, unidos de facto ou solteiros, independentemente da categoria de rendimentos auferidos (trabalho dependente, trabalho independente, pensões, rendas, etc.).

Por isso, quer decida entregar o IRS em conjunto ou em separado, deve entregar a declaração ou declarações entre 1 de abril e 30 de junho de 2020.

Deve fazer várias simulações de IRS para saber qual a opção para si e para o seu agregado familiar.