O dinheiro não é tudo na vida é uma das frases que se dizem e que se ouvem de vez em quando em referência ao valor do dinheiro. Será que está correta? Algumas provas indicam que sim.

1. O dinheiro sem saúde não é nada

Ser o homem mais rico no cemitério não traz vantagem nenhuma para o morto. Claro que tem uma campa de luxo, mas já não pode a ver, a sentir, e tirar grande partido disso.

Quem adoece percebe que quem tem saúde tem tudo. Trabalhamos muito para ter mais dinheiro, mas lentamente damos cabo da nossa saúde ao trabalhar. Até podemos ficar mais ricos no banco, mas ficamos na verdade mais pobres de saúde, tendo de gastar depois dinheiro em medicação.

2. O dinheiro separa as pessoas

O dinheiro sem amigos e família não tem grande valor. De que adianta ter muito dinheiro se não houver amigos e família com os quais partilhar momentos de alegria? Uma das desvantagens de ser rico é perder amizades e criar inimizades pelo caminho.

3. O dinheiro não compra felicidade

O dinheiro não consegue comprar certas coisas, desde logo com a felicidade à cabeça. Sim, ele pode comprar muita coisas, mas a felicidade em si (um sentimento) não. Apesar do dinheiro dar jeito, não deixam de existir pessoas ricas deprimidas e pessoas pobres felizes.

4. O dinheiro é passageiro

O dinheiro, que na prática é um pedaço de papel, como muitos outros que temos por casa, tem o valor que lhe damos. Ele é passageiro. Tanto entra rapidamente na conta bancária, como sai. Pode desaparecer a qualquer momento, trazendo na realidade mais complicações do que segurança.

Todos nós, efetivamente, estamos aqui de passagem. Mas não damos às pessoas a mesma importância que damos ao dinheiro.

Se pensarmos bem no assunto encontramos coisas mais importantes do que o dinheiro.