Devolução do IRS em 2019

A devolução do IRS em 2019 acontece até 31 de julho de 2019 para todos os contribuintes a que ela têm direito. No entanto, se entregar o IRS no início de abril, poderá receber o reembolso antes do dia 15 de abril!

Não deixe o preenchimento do IRS para a última: quanto mais cedo fizer a entrega do IRS, mais cedo terá direito à devolução do IRS pelo Estado, caso não se registem dúvidas ou divergências na declaração de IRS.

IRS automático: devolução é mais rápida

Não há um compromisso do Fisco quanto à data de devolução do IRS, além do cumprimento das datas limites legais, pelo que o reembolso deve seguir o rumo dos anos anteriores (até dia 31 de julho).

Quem entregar o seu IRS mais cedo, deverá receber também mais cedo o reembolso do seu IRS, segundo informação da AT. Os prazos médios esperados para a devolução do IRS em 2019 são os prazos concretizados em 2018: uma média de 11 dias para quem entregar o IRS automático e 16 dias para os restantes contribuintes (IRS normal). Para estes prazos também contribuiu a instituição do IRS automático para as situações fiscais mais simples.

Pagamento na conta bancária

A devolução do IRS é feita por conta bancária através da identificação do IBAN. Se o contribuinte não tiver uma conta bancária o reembolso será emitido por cheque ou vale postal.

Consulta de devolução

Pode consultar a situação da devolução do IRS online, depois de entregar o IRS e de entrar com os seus dados no Portal das Finanças. Para aceder à informação de cobrança deverá escolher: Cidadãos > Consultar > Informação Financeira > Movimentos Financeiros.

Este ano pode ainda consultar esta informação na aplicação móvel para entrega do IRS pelo telemóvel, mesmo que não faça a entrega da sua declaração por esse meio.

Após a emissão do reembolso o dinheiro demora no mínimo 3 dias úteis a entrar na conta bancária. Em caso de dúvidas contacte o centro de atendimento telefónico da Autoridade Tributária e Aduaneira (217 206 707).