Despesas veterinárias no IRS

As despesas do veterinário entram no IRS de 2016, a entregar em 2017. Em 2016, as despesas do veterinário podiam entrar no IRS de 2015, mas na categoria alargada das despesas gerais familiares.

Onde se podem introduzir as despesas?

As despesas veterinárias passam a entrar no IRS em 2017 nas deduções do IVA, ou seja, as despesas com veterinários dão direito a dedução no IRS juntamente com as despesas de reparação de automóveis e motociclos, cabeleireiros, alojamento e restauração.

Estas despesas do veterinário devem conter o número de contribuinte do pagador do serviço para serem deduzidas. Esta dedução é automática, a partir do momento em que é emitida fatura com número de contribuinte, devendo ser validada no e-fatura. As empresas devem ter atividade aberta na Secção M, classe 75 000 (atividades veterinárias).

Conheça todas as despesas veterinárias aceites no IRS.

Se entrar neste portal com os seus dados pessoais, repara num novo ícone com duas patas (de cão e de gato): é a nova categoria de despesas chamada “Atividades Veterinárias”.

2016-09-16-3_cke.jpg

Qual o limite das despesas?

Será possível deduzir em IRS 15% do IVA do total gasto em despesas veterinárias, reparação de automóveis e motociclos, cabeleireiros, alojamento e restauração. A devolução de IVA possível nas despesas conjuntas destes setores está limitada a 250 euros por agregado familiar. Este é o valor máximo que se pode recuperar na altura de liquidação do IRS.

Não surge então uma nova dedução de 250€ no IRS, mas sucede sim um alargamento no tipo das despesas dedutíveis dentro da categoria do IVA.