Pense em alternativas aos depósitos a prazo, face à descida das remunerações dos depósitos a prazo nos últimos tempos. Apesar de ainda fazer sentido investir nesta modalidade, existem outras opções que podem ser mais lucrativas para o investidor.

Principais alternativas aos depósitos a prazo existentes

Certificados de Aforro

As características deste produto foram alteradas de forma a torná-lo mais atrativo para os investidores, o que o torna numa boa alternativa aos depósitos a prazo. Até ao final de 2016, este produto beneficia de um prémio fixo de 2,75%, superando assim a maior parte dos depósitos a prazo existentes. O montante mínimo de subscrição dos certificados de aforro são 100 euros e os juros são pagos trimestralmente, o que por si já é uma vantagem relativamente aos depósitos mais elevados cujos juros são pagos mais tardiamente.

Obrigações de empresas

As obrigações de empresas podem oferecer taxas de juro brutas até 6,25% (exemplo da REN), bastante acima da média dos depósitos a prazo. No entanto, existem custos associados (como as comissões de subscrição, juros e guarda de títulos) que podem sugar uma grande percentagem do retorno. Segundo a Deco compensa subscrever obrigações unicamente com montantes superiores a 2500€.

Fundos PPR

Os PPR apresentam um retorno considerável na forma de fundo de investimento, podendo a rendibilidade anualizada ser superior a 10%. Existem riscos associados a este tipo de investimento mas é possível escolher produtos com menores níveis de risco, já que gozam de menor exposição ao investimento em ações.

Fundos de Tesouraria

Esta grande alternativa aos depósitos a prazo contém menores riscos, fazendo principalmente aplicações em meios financeiros de curto prazo, como depósitos no mercado monetário interbancário, papel comercial ou bilhetes do tesouro. A rentabilidade anualizada da categoria de fundos de Tesouraria Euro tem evidenciado uma média de 3,64%, mas chegou a alcançar os 5,98% (o fundo Banif Euro Tesouraria - classe de risco 1).

Obrigações do Tesouro do Rendimento Variável

As Obrigações do Tesouro do Rendimento Variável oferecem um prémio fixo de 2,2% acrescido de juros correspondentes à Euribor a seis meses, mas cobram também comissões e não garantem o capital nos resgates antecipado.