Vantagens e Desvantagens do Regime Simplificado

O trabalhador independente pode optar pelo regime simplificado ou pela contabilidade organizada quando abre atividade. Neste artigo olhamos para as vantagens e desvantagens do regime simplificado para ajudar a essa escolha.

O regime simplificado é aplicado automaticamente a quem abre atividade e não manifesta optar por outro regime. Ela aplica-se a quem não tem um volume de faturação superior a 200.000 euros anuais (até este valor é possível optar pelo regime).

Vantagens do regime simplificado

Como o nome indica, este regime não pressupõe tantas obrigações como a contabilidade organizada nem despesas adicionais. O regime simplificado não exige a contratação de um técnico oficial de contas, para assinar declaração de IRS e verificar dossiers com documentos relevantes, por exemplo.

Este regime é o ideal para atividades mais pequenas e menos complexas.

Desvantagens do regime simplificado

O regime simplificado é menos eficaz do ponto de vista fiscal. No regime simplificado as despesas não são consideradas, não existindo a possibilidade de fazer as deduções das despesas, ao contrário do que acontece com a contabilidade organizada.

O regime considera que 75% dos rendimentos obtidos são líquidos e que os restantes 25% correspondem a despesas (15% no caso da hotelaria, restauração e bebidas e da venda de mercadorias).

Qual o melhor regime?

Igualmente, a contabilidade organizada tem as suas vantagens e desvantagens.

A escolha entre os dois regimes variará de caso para caso, consoante os rendimentos. Regra geral, quanto maior o negócio mais se recomenda a contabilidade organizada: sempre que os custos forem superiores a 25% dos rendimentos será mais proveitoso escolher a contabilidade organizada.