Ative as notificações para receber todas as novidades sobre Impostos, Finanças e Poupança.
Por: João Paulo Moura

5 Alturas em que pode aceitar trabalhar de graça

Trabalhar de graça? Estarei a ler bem? Sim. Não se enganou (nem nós). Trabalhar de graça parece uma ideia inconcebível. Trabalho e dinheiro são dois termos diretamente e historicamente relacionados. Mas em certas circunstâncias esta ideia pode fazer sentido e até compensar.  

Depois de deliberarmos no assunto podemos dizer que existem apenas 5 alturas em que se pode aceitar trabalhar de graça. Nas restantes alturas apenas se está a desperdiçar tempo.

1. Para ganhar visibilidade

É uma questão sensível. À partida, quem oferece muita visibilidade a um trabalho tem condições para pagar por esse mesmo trabalho. Mas numa fase inicial de carreira pode compensar fazer alguns trabalhos de graça para ganhar mais visibilidade, desde que se consiga atingir realmente um grande público alvo.

As questões a fazer antes de trabalhar de graça deverão ser: a quantas pessoas será o trabalho realmente exposto? Quantos clientes-alvo estarão dentro desse público? Haverá realmente um impacto positivo, mesmo que indireto, do esforço realizado?

2. Para ganhar experiência relevante

Trabalho a trabalho, enche o candidato o papo do currículo. A experiência acumulada aos poucos e os nomes adicionados ao currículo ajudam a ganhar credibilidade e a conquistar um trabalho no futuro. Dizer no currículo que se trabalhou nos Jogos Olímpicos tem mais impacto do que dizer que se trabalhou na associação local.

Quando um determinado trabalho promete ser uma experiência de aprendizagem gratificante, entrar nela, mesmo que de graça, se torna tentador.

Pense se essa experiência será uma importante oportunidade de crescimento e uma boa adição ao currículo profissional.

3. Para obter uma futura contrapartida

Também pode fazer sentido trabalhar sem pagamento num sistema de troca direta, onde no futuro se tem direito também a um trabalho, produto ou serviço de graça.

Assim, pode colmatar uma necessidade de uma pessoa hoje de graça, se ela colmatar uma necessidade sua amanhã da mesma forma.  

4. Por acreditar num projeto

Por vezes uma ideia demora a arrancar e a ter sucesso. Apesar de estar em fase inicial, um projeto pode ter pernas para andar. Se não ganha nada de momento num projeto, mas acredita que ele vai crescer, pela sua importância ou pelas pessoas envolvidas, vindo a gerar receitas a curto ou médio prazo, pode dar o seu contributo gratuitamente, mas dentro da sua disponibilidade.

5. Por caridade

Trabalhar para dar algo aos outros acaba por ser igual a trabalhar para dar algo ao próprio. Quando um trabalho lhe traz felicidade e realização pessoal, pode aceitar o desafio, estabelecendo um limite temporal para a sua contribuição. Estará também a ganhar currículo.