Trabalhar 8 horas por dia não é tão produtivo quanto se pensa. Pelo contrário, pode prejudicar a produtividade!

Estas são 4 razões que mostram que trabalhar 8 horas seguidas por dia não é a melhor solução. Pode até reencaminhar este artigo do Economias ao seu chefe.

1. É uma medida ultrapassada

As 8 horas de trabalho foram instituídas há 200 anos, por altura da Revolução Industrial, para impor limites a todo o esforço desenvolvido pelo corpo do trabalhador. Nos dias que correm, esta medida não parece ser tão relevante como foi no passado.

2. É ineficaz e contraproducente

A ciência apoia a ideia de que trabalhar muitas horas por dia não equivale a ser produtivo. Vários estudos demonstram que as pessoas que fazem diversas pausas por dia são mais produtivas do que quem trabalha continuadamente. Estas últimas pessoas não trabalham com tanta atenção ou criatividade.

Esta é assim uma forte razão para fazer pausas no trabalho.

motivos para não trabalhar 8 horas diárias

3. É contra a ordem natural das coisas

É triste mas é verdade: não somos super homens ou super mulheres.

O que os estudos nos mostram é que o cérebro funciona com picos de energia (uma hora) seguidos de quebras na energia (15 a 20 minutos), sendo a proporção ideal de trabalho de 52 minutos de esforço seguidos de 18 minutos de pausa.

Assim, durante cerca de uma hora as pessoas conseguem trabalhar concentradamente numa tarefa, precisando o cérebro de uma pausa ao fim desse período, para voltar com as energias recarregadas.

Fique com formas de fazer pausas no trabalho, sempre que notar que a sua energia está a cair.

4. Não permite uma organização eficaz do trabalho

Se tem oito horas de trabalho pela frente pode cair na tentação de não dividir o trabalho em partes, adiando e deixando acumular o trabalho.

Se dividir o trabalho de hora a hora, para acompanhar os picos de atenção do cérebro, já consegue programar as tarefas, de acordo com a sua prioridade.

Veja como fazer listas de tarefas no trabalho.