Spread no Crédito Habitação

Sabe o que é o spread no crédito habitação? O spread é a taxa de lucro implícita cobrada pelos bancos na concessão de um empréstimo. A taxa de juro final do empréstimo resulta da soma do spread (a taxa cobrada pelo banco) e do indexante (os créditos são na sua maioria indexados à taxa Euribor a 6 meses). Para os bancos, o spread é um bom amigo, para os clientes pode ser um risco.

Spread em crédito habitação mais baixo

Como o spread não é um valor fixo e se adapta à realidade particular de cada caso, ele fornece o perfil do cliente - se é de risco ou não. Para o cliente conseguir o melhor spread no crédito habitação ele deve estar atento à oferta, entre outras dicas.

Apesar de ser difícil conseguir um empréstimo com o spread mínimo aplicável por determinado banco, existem alguns factores que podem contribuir para tal:

  • Rácio de financiamento / garantia - quanto maior for a entrada dada para o imóvel, maior será a probabilidade de aceder a um spread menor. Apresentar um rácio LTV (Loan to Value) de, por exemplo, 70%, significa que o cliente está a pedir um empréstimo equivalente a apenas 70% do valor total do imóvel.
  • Envolvimento com o banco - a contratação de produtos e serviços do banco aproxima o cliente da instituição e é uma técnica bastante utilizada pelos bancos na negociação do spread.
  • Imóveis de financiamento elevado - este parâmetro, alia-se ao primeiro desta lista. Para além apresentar um rácio LTV baixo, a banca dá preferência a montantes de financiamento elevados, o que quer dizer que o imóvel tem de ter um valor bastante considerável.

A dificuldade dos bancos em atingir liquidez faz com que sejam impostas cada vez mais restrições no acesso ao crédito habitação. O spread acaba por ser uma ferramenta que os bancos utilizam para abrandar a procura de crédito por parte de clientes com perfil de risco elevado.