Os membros do casal podem manter alguns segredos financeiros, fazendo compras e investimentos a gosto. Em tempos de aperto económico, todos as pequenas despesas são motivo para discussão, pelo que os casais tendem a guardar os seus segredos. Qualquer sinal de infidelidade económica pode criar um momento difícil para o casal.

Vícios

Os vícios são grandes segredos financeiros que apesar de serem uma obsessão podem ser difíceis de se descobrir. Um homem pode ser viciado em jogo sem a sua mulher se aperceber, gastando os seus rendimentos ou os do casal no seu vício. Uma conta conjunta, com fácil acesso ao extrato para os dois, é uma forma de controlar os gastos de ambos os membros do casal. O mais justo é até colocar um limite de levantamento mensal para cada um.

Bens e contas

Os casais podem ter conversas abertas sobre as economias de cada um como podem esconder os seus pertences um do outro. Hoje em dia é possível manter vidas económicas praticamente invisíveis para a outra metade do casal. Os membros podem até abrir contas em nome dos filhos, para garantir o futuro dos pequenos, sem o conhecimento do outro membro.

Luxos e preços

Os cônjuges podem dividir despesas por cartões de crédito para diluir o custo total de uma compra ou mentir sobre o valor de uma despesa. A mulher pode dizer que comprou os seus sapatos novos numa promoção, por exemplo, quando na verdade os comprou a preço inteiro.

Créditos

A dívida de créditos contratados é uma mentira financeira que pode ter graves consequências para o casal e para o futuro do casamento. Uma dívida coloca o nome do casal em risco e não apenas o nome do cônjuge devedor.

Conheça formas de ser infiel financeiramente.