As qualidades positivas no trabalho podem não ser benéficas quando usadas em excesso. Por mais que se queira mostrar serviço, por vezes as qualidades tornam-se desagradáveis para os outros ou mesmo contraproducentes.

1. O insistente perfecionismo

Querer fazer sempre tudo ao pormenor corresponde muitas vezes a quebras de ritmo do trabalho e da produtividade. O perfecionismo pode também impedir experimentar novas formas de trabalhar.

2. A meticulosa organização

Ser for obsessivo compulsivo com a organização no local de trabalho também pode levar os colegas de trabalho à loucura com o seu comportamento.

3. O eterno espírito de equipa

Manter o espírito de equipa acima de tudo força por vezes a pessoa a calar a sua opinião e a impede de dar contribuições importantes, com medo de gerar conflitos no grupo.

4. Querer fazer tudo e mais alguma coisa

Pelo contrário, ser aquela pessoa que monopoliza o trabalho em grupo, ou que faz sempre tudo sozinho, pode resultar em interferências no trabalho dos outros e mesmo em prejuízo próprio.

5. O apelo social

A pessoa bem-disposta na empresa, de quem se espera que se inicie conversações, quebrando silêncios, também pode ser encarada como faladora e distrativa para os colegas quando se entusiasma na conversa.

6. A concentração total

No oposto está aquele trabalhador que coloca os auriculares na cabeça e se fecha para os colegas de trabalho, isolado e concentrado no seu trabalho, que prefere comer ao computador do que com os colegas.

Pelo contrário, alguns supostos defeitos podem ser encarados como qualidades no trabalho.