O pagamento nas mesas de voto é de € 51,77 por dia de serviço. 

Em maio de 2014 a gratificação a quem assegura o funcionamento das mesas nos atos eleitorais desceu de mais de 70 euros para 50, tendo vindo a ser atualizado de acordo com o valor da inflação.

Redução de € 76,32 para cerca de 50 euros

Na senda dos cortes nas despesas do Estado, também o pagamento aos membros das mesas de voto sofreu uma redução, de 35%. A proposta da maioria PSD /CDS-PP seguiu em frente no Parlamento, apesar da abstenção de toda a oposição.

A proposta apresentada pelo executivo liderado por Pedro Passos Coelho, a 21 de novembro de 2013, consistia numa redução do pagamento dos então € 76,32 de gratificação para apenas € 50,00, menos 35%.

Alegava o executivo que Portugal era um dos países da União Europeia com os valores mais elevados e que a redução permitiria poupar um milhão de euros em cada ato eleitoral. Isto porque cada mesa de voto é composta por cinco membros.

O novo montante começou a ser aplicado nas eleições europeias de 2014, permitindo baixar a fatura dos cerca de 4 milhões de euros pagos pelo Estado em cada eleição.

Razão histórica para o pagamento nas mesas

O pagamento nas mesas de voto foi fixado em 30 euros, em 1999, na sequência da falta de voluntários para assegurar a realização das eleições. Desde essa altura, foi sendo atualizado, chegando aos € 76,32. Em maio de 2014, foi reduzido para os € 50, fixando-se, atualmente, em € 51,77.