Obrigações do Tesouro são o principal instrumento utilizado pelo Estado português para satisfazer as suas necessidades de financiamento junto dos mercados financeiros.

O que são?

São valores mobiliários de médio e longo prazo, cuja emissão se efetua através de operações sindicadas, leilões ou por operações de subscrição limitada e que podem ser emitidas com:

  • Prazos entre 1 e 50 anos;
  • Com ou sem cupão (cupão zero);
  • Taxa de juro fixa;
  • Amortizáveis no vencimento pelo seu valor nominal e possibilidade de destaque de direitos.

Assim, as obrigações do tesouro ajudam o Estado a pagar as suas despesas correntes como, por exemplo, salários, subsídios ou bens e serviços na gestão da Administração Pública.

Os leilões de obrigações do tesouro são geridos pelo Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público, entidade que gere a dívida pública portuguesa.

Como subscrever

Para fazer a subscrição de obrigações do tesouro deve contactar o seu banco ou corretora, uma vez que a negociação das obrigações do tesouro é feita na Bolsa de Lisboa e apresenta um funcionamento mais complexo que os certificados de aforro.

Conheça ainda as Obrigações do Tesouro do Rendimento Variável.