Se tem uma conta conjunta com o seu conjuge ou cara metade deve evitar alguns comportamentos para o bem do casal. Juntar as finanças é um grande passo que exige esforços de ambas as partes.

Mentir

Um dos hábitos monetários dos casais saudáveis financeiramente é o diálogo. Na vida a financeira a dois não devem existir segredos. É fulcral dizer a verdade relativamente a possíveis dívidas existentes, o que afeta as finanças do casal, e em relação a gastos e ao dinheiro que se ganha e que se pode trazer para casa todos os meses. Só assim se poderá manter um esquema de poupança para o casal que funcione e manter a confiança na relação.

Preste atenção às mentiras financeiras que os casais contam.

Gastar demasiado

Uma das formas de dividir as contas do casal é manter uma conta conjunta para as suas despesas. As despesas do casal não devem contudo ser confundidas com despesas pessoais. Utilize apenas a conta conjunta para as despesas relacionadas com a vida do casal.

Tenha o cuidado de guardar dinheiro por precaução e não viva acima das possibilidades do casal. Só porque agora existem dois ordenados, não deve passar a gastar o dobro do dinheiro que gastava antes, ou a esgotar esse rendimento mensal disponível.

Não controlar despesas

O ideal seria gastar apenas metade do orçamento do casal, o que deixaria o casal descansado ao que o dinheiro diz respeito. Saiba como fazer um orçamento para o casal e descubra onde pode cortar nas despesas.

O controlo das despesas deve ser feito regularmente, pelas duas partes do casal, para evitar problemas no relacionamento.

Tendo estes cuidados básicos ao viver em economia conjunta, o casal conseguirá manter-se saudável financeiramente e, não menos importante do que isso, longe de possíveis desentendimentos.