O que fazer quando não se consegue pagar um financiamento

Quando não se consegue pagar um financiamento é preciso encarar a realidade, refazer os cálculos e redobrar os cuidados. Conheça algumas soluções para o aparente beco sem saída do endividamento.

Conhecer a dívida

Será necessário fazer as contas às dívidas para se ter uma noção dos valores a pagar e das necessidades de poupança para colmatar essas perdas financeiras.

Estabelecer um orçamento

Fazer um orçamento familiar ajuda a descobrir os rendimentos disponíveis e os gastos existentes. Deve delinear onde pode cortar despesas e determinar uma percentagem do orçamento familiar para pagar o(s) financiamento(s) contraídos.

Criar um plano de pagamento

Se o orçamento não for suficiente, o devedor pode procurar ajuda de profissionais financeiros, que lhe criem um plano de pagamentos ou de investimentos que lhe seja lucrativo. Porém, esta é uma solução que contém riscos e custos.

Renegociar

O que as pessoas que entram em incumprimento ignoram muitas vezes é a possibilidade de renegociação das condições de contrato com o banco ou instituição de crédito do financiamento.

O valor a pagar pode ser redimensionado, para parcelas menores e para um prazo maior de pagamento. Se isto faz com que a pessoa respire mais descansadamente todos os meses, por outro lado também lhe traz uma desvantagem: o valor final pode engrandecer, com o aumento do número de prestações e dos respetivos juros.

Fiador

Uma bengala para a negociação com a entidade financeira pode ser a entrada de um fiador, que com o seu património garante o pagamento do crédito. Esta opção tem também as suas desvantagens, pois traz riscos para o fiador em caso de incumprimento do devedor.

Vender bens

O cliente do crédito pode sempre vender o bem adquirido com o crédito, ou os seus próprios bens. Se entregar o bem à sua origem (ao banco, no caso de um crédito habitação) este tem interesse em vender o mesmo, colocando-o em leilão.

Outra alternativa é vender o bem (o carro num caso de empréstimo automóvel) a terceiros e comprar um bem semelhante (outro carro) por um preço inferior, para angariar dinheiro que dissolva a dívida.