O que a música faz ao seu cérebro enquanto trabalha

A música afeta o cérebro de diferentes formas. Ouvir música pode ser benéfico ou prejudicial ao trabalho, dependendo das tarefas que está a realizar no momento.

Benefícios de ouvir música enquanto trabalha

Uma das alturas mais indicadas para escutar música é quando o local de trabalho está barulhento, para diminuir o número de inputs que o cérebro recebe. Sempre que existem muitos inputs, o cérebro tenta gerir cada um deles individualmente, gastando mais energia, e afetando negativamente o córtex pré-frontal, que trava a função executiva. Assim, a música é uma ajuda para focar-se no trabalho, para além de diminuir os níveis de stress.

Outra altura para ouvir música no trabalho é quando se tem de fazer trabalhos repetitivos já que vários estudos concluíram que quem ouve música enquanto trabalha em tarefas repetitivas consegue trabalhar mais rápido e cometer menos erros. Isto acontece porque ouvir a música que se gosta liberta neurotransmissores como a dopamina, serotonina e noradrenalina, que ajudam à concentração, ao relaxamento e à alegria.

Desvantagens de ouvir música no trabalho

A música tem efeitos negativos no trabalho em duas grandes ocasiões.

A primeira é sempre que tem de fazer algo de novo, de aprender algo verbalmente ou pela leitura. A aprendizagem requer análise por parte do cérebro para assimilar instruções e a música pode atrapalhar esse processo, sobretudo quando tem voz e letras que sobrecarregam o cérebro.

Da mesma forma, quando ouve música nova, essa tarefa constitui uma novidade, uma surpresa para o cérebro, que liberta dopamina e traz prazer à pessoa. Isto pode ser prejudicial ao trabalho, uma vez que a música se torna mais interessante e uma prioridade sobre a tarefa a realizar, roubando a concentração e a atenção necessária ao trabalho.

Uma solução para resolver esta situação é ouvir música que já conhece, evitando que o cérebro se concentre na novidade, e apenas instrumental. Fique com sugestões de tipos de música para ouvir no trabalho.