Os juros são passíveis de IRS ou IRC por retenção na fonte, a uma taxa liberatória vigente na altura do pagamento de juros.

Juros no IRS

Como os juros já foram sujeitos a retenção na altura do pagamento, o contribuinte não tem necessidade de os declarar no seu IRS anual, mas pode optar por o fazer se daí resultarem vantagens, como um retorno de uma percentagem paga.

Fique a par da declaração de juros no IRS.

Taxas liberatórias de juros

A taxa liberatória de IRS é de 28% para pessoas singulares com domicílio fiscal no Continente e na Madeira e de 22,4% para as pessoas singulares com domicilio fiscal nos Açores.

Já nas empresas, a taxa de IRC aplicável aos juros dos depósitos é de 25% para as empresas com domicílio fiscal no Continente e na Madeira e de 17,5% para as empresas com domicílio fiscal nos Açores.

Preenchimento de IRS

O contribuinte pode pedir ao seu banco, em janeiro, uma declaração com os montantes do imposto que lhe foram retidos. Este documento pode depois ser utilizado para englobar o valor de imposto retido na declaração de IRS.

A opção do englobamento de juros no IRS só é benéfica no caso dos contribuintes se incluírem no escalão mais baixo, onde se aplica uma taxa de IRS inferior aos 28% da taxa liberatória.