Inteligência Emocional: o que é e como trabalhá-la?

A inteligência emocional é um dos fatores com mais relevância no sucesso profissional de qualquer pessoa. Para além do domínio técnico nas nossas tarefas, é importante sabermos gerir as nossas emoções e relações com os outros, especialmente quando assumimos cargos de liderança e gestão de equipas.

Daniel Goleman é considerado o “pai” do conceito de inteligência emocional, na psicologia. Ele defende que a inteligência emocional tem quatro domínios:

  • Autoconsciência: saber o que sentimos e porque estamos a senti-lo;
  • Autogestão: gerir as emoções;
  • Empatia: saber como se está a sentir a outra pessoa;
  • Habilidade social: a capacidade de estabelecer relações, através da autoconsciência, autogestão e empatia.

Como melhorar a sua Inteligência Emocional?

A inteligência emocional trabalha-se ao longo da vida e, portanto, pode sempre melhorar. Se acredita que precisa de melhorar a sua inteligência emocional, damos-lhe aqui sete dicas:

1. Preste mais atenção aos seus sentimentos

O primeiro passo é olhar para dentro e perceber como se sente, assim como as razões para se sentir dessa forma. Por exemplo, se fica com ansiedade antes de uma reunião, então é importante compreender a razão pela qual esse evento está a ter esse efeito em si. Só depois de descobrir isto é que pode agir.

2. Pense sobre a forma como se comporta

Pensar sobre a forma como nos comportamos e sobre os sinais que passamos para as outras pessoas é essencial para compreendermos as interações dos outros connosco.

3. Responsabilize-se pelos seus sentimentos e comportamentos

Ninguém é responsável pela forma como outra pessoa se sente ou se comporta. Assumir o controlo sobre os nossos sentimentos e comportamentos implica consciencializarmo-nos de que só nós temos o poder para os gerir. Se imputarmos aos outros a “culpa” ou a razão do nosso mal-estar ou comportamento, estamos a deixar em mãos alheias a gestão das nossas emoções. Tente ser honesto sobre a forma como se sente, mas sem culpar os outros. Assim vai sempre depender de si a criação de estratégias para ultrapassar situações mais difíceis.

4. Peça feedback (e não tenha medo de pedir desculpa)

Uma das formas mais eficientes para gerir os seus comportamentos perante os outros é pedir feedback. Assim terá a perceção correta sobre a forma como os outros o vêm e interpretam as suas ações e criará oportunidades para ajustar o seu discurso e comportamento, por forma a que as pessoas à sua volta compreendam o que quer transmitir. Sempre que souber que alguém percebeu mal as suas intenções, não tenha medo de pedir desculpa.

5. Pare sempre que sentir que as coisas estão a fugir do seu controle

Se não se está a sentir bem com alguma coisa ou alguém e sente que vai reagir “a quente”, então o melhor é fazer uma pausa. Aprenda a ouvir o seu corpo e a perceber que as coisas estão a fugir do seu controle. E sempre que isto acontecer, pare para pensar.

6. Crie mais empatia

Sempre que se sentir frustrado com outra pessoa, evite julgar ou assumir as razões que levaram a pessoa a agir. Tente pensar sobre o porquê de outras pessoas se sentirem ou se comportarem de certa forma, antes de tomar decisões. A forma mais eficiente é dar sempre o benefício da dúvida e perguntar qual a razão do problema e como é que podem, juntos resolvê-lo.

7. Crie mudança positiva a partir das falhas

Sempre que alguma coisa correr mal, questione-se sobre o porquê e pense como pode mudar as coisas por forma a que tudo corra melhor de uma próxima vez.

Acha que tem a sua inteligência emocional em baixo? Pode fazer aqui um teste (em inglês). Aplique estas dicas e verá que para além de melhorar o seu desempenho no local de trabalho, viverá uma vida pessoal com menos stress e mais felicidade.