Estou desempregado, e agora?

Se ficou desempregado, ou se está em vias de ficar, veja o que pode fazer. Quando o desemprego fecha uma porta, há que saber abrir uma outra.

Pedir declaração

Deve pedir uma declaração da situação de desemprego, com a data da última remuneração, junto do empregador. Se este se recusar, dirija-se à ACT. Peça recomendações e contactos para novos trabalhos.

Criar o próprio negócio

O orçamento familiar vai ficar muito limitado com o desemprego. Encontre uma forma de ganhar dinheiro com o seu talento, no tempo livre todo que dispõe. Se decidir apostar numa ideia de negócio, sirva-se dos incentivos existentes. Alguns negócios requerem até pouco investimento inicial.

Recorrer a apoio Social

Descubra se tem direito ao subsídio de desemprego e sirva-se deste apoio nesta hora mais difícil. Dirija-se ao centro de emprego com a declaração de desemprego passada pelo empregador, no prazo de 90 dias desde a data de desemprego.

Procurar emprego

A busca incessante por um novo emprego passará pela internet e por anúncios de jornais. Visite diariamente sites de emprego e envie o seu currículo atualizado em resposta aos anúncios que mais se adequam à sua experiência. Se enviou 999 vezes o currículo, não desista, nada cai do céu (à exceção de chuva e neve). O seu novo emprego pode estar à sua espera à milésima tentativa.

Fazer um formação

Melhorar o currículo é sempre importante na hora de procurar um emprego. Frequente cursos e formações na sua área ou em novas áreas, com saída. Existem mesmo cursos especialmente dedicados a desempregados, remunerados. Pergunte no centro de emprego e diretamente em centros de formação. Tudo vale, menos estar parado.

Emigrar

A solução para a situação do desemprego, sobretudo para jovens, pode estar no estrangeiro. Se desejar tentar essa opção, veja o que deve fazer antes de emigrar.