Ative as notificações para receber todas as novidades sobre Impostos, Finanças e Poupança.

Escalões de rendimentos de trabalhadores independentes para a Segurança Social

Os escalões de rendimentos dos trabalhadores independentes para efeitos de contribuição mensal para a Segurança Social são 11.

Contribuições de trabalhadores independentes

A contribuição mensal para a segurança social é calculada com referência numa base de incidência de 29,6%.

Em setembro, a Segurança Social determina a base de incidência que entra em vigor a partir de outubro e vigora nos 12 meses seguintes. É através do anexo SS do IRS que a Segurança Social tem conhecimentos dos rendimentos do trabalhador independente no ano anterior.  

Os valores das contribuições para a Segurança Social em Portugal variam consoante o trabalho seja realizado enquanto trabalhador por conta de outrem ou trabalhador independente.

Escalões de rendimentos e contribuição mensal para a Segurança Social

Escalão Rendimento Valor a pagar com taxa 29,6%
1 419.22 € 124,09 €
2 628.83 € 186,13 €
3 838.44 € 248,18 €
4 1.048,05 € 310,22 €
5 1.257,66 € 372,27 €
6 1.676,88 € 496,36 €
7 2.096,10 € 620,45 €
8 2.515,32 € 744,53 €
9 3.353,76 € 992,71 €
10 4.192,20 € 1.240,89 €
11 5.030,64 € 1.489,07 €

A inserção do trabalhador independente num determinado escalão de rendimentos passa a depender do cálculo de 70% do rendimento total do ano anterior, a dividir por 12 meses.

Ao trabalhador independente é permitido pedir para mudar de escalão de contribuição para a Segurança Social.

Em 2017 estes escalões deverão terminar. Conheça as alterações aos recibos verdes previstas para 2017.

Dados importantes a reter

  • Consoante os rendimentos, pode ainda ser atribuída a fixação oficiosa de 50% do valor do IAS, ficando o trabalhador inserido no escalão 50% do valor do IAS (inferior aos 11 escalões), tendo o trabalhador independente de pagar 62,04 euros mensalmente (metade do escalão 1).
  • Os trabalhadores que acumulam a atividade independente com trabalho por conta de outrem estão dispensados de contribuir, desde que as atividades sejam prestadas a empresas diferentes e sem relação entre si, e a remuneração média do trabalho por conta de outrem seja igual ou superior a 419,22€.
  • Pensionistas de invalidez ou velhice, desde que a lei permita a acumulação de atividade por conta própria com a pensão.
  • Quem abre atividade pela primeira vez não está obrigado a contribuir durante 12 meses. Esta é uma das condições para a isenção de contribuição para a Segurança Social. Só tem de descontar a partir do 1.º dia do 12.º mês (se se inscrever entre outubro e dezembro) ou, a partir do 1.º dia de outubro do ano seguinte (se tiver iniciado atividade entre janeiro e setembro).
  • Além de contribuições para a Segurança Social, o trabalhador a recibos verdes pode estar sujeito a retenção na fonte