Entrada do FMI em Portugal

A entrada do FMI em Portugal sucedeu em 2011. Este processo consiste numa operação de resgate financeiro do país. O governo, liderado então pelo primeiro-ministro José Sócrates anunciou a 6 de abril de 2011 que havia solicitado o pedido de resgate financeiro à Comissão Europeia e ao Fundo Monetário Internacional.

Resgate financeiro de Portugal

Para recorrer ao fundo de resgate é necessária uma carta de intenções, com apresentação do pacote de medidas que o país está disposto a adotar para garantir os empréstimos financeiros.

O programa de assistência financeira da União Europeia e do FMI a Portugal rondou os 78 mil milhões de euros e foi aplicado ao longo de três anos. Portugal é o terceiro país da União Europeia a solicitar um resgate para enfrentar dificuldades económicas depois da Grécia e da Irlanda o terem feito em 2010.

O FMI é conhecido por impor programas de cortes de gastos que podem incluir redução no número de funcionários públicos e/ou respetivos salários, subida de impostos e alterações nos regimes de pensões.

Veja as medidas do FMI em Portugal.