As deduções com imóveis no IRS 2016, referentes a rendimentos de 2016, a entregar em 2017, são de 15% das importâncias pagas com o limite de 502 euros (rendimentos de imóveis para habitação permanente).

Juros de empréstimos para habitação própria e permanente

Dedução possível: 15% dos juros do crédito nos contratos celebrados até 31 de dezembro de 2011.

Limite: 296€

Rendas de habitação permanente pagas de contratos celebrados pelo RAU ou NRAU

Dedução possível: 15% das importâncias pagas

Limite: 502€

Reabilitação de imóveis

Dedução possível: 30%

Limite: 500€

Saiba mais sobre os encargos com a reabilitação de imóveis.

Majoração

O limite da dedução à coleta para rendas de habitação é elevado nos seguintes casos e formas:

Para contribuintes que, depois de aplicado o quociente familiar, apresentem um rendimento coletável inferior a € 7.035, o montante de € 800,00;

Para contribuintes que, depois de aplicado o quociente familiar, apresentem um rendimento coletável superior a € 7.035 e inferior a € 30.000,00, o limite resultante da seguinte fórmula: € 502+ [(€800 - €502) x [ €30 000 - Rendimento Coletável ]] / € 30.000 - € 7.035

Separar ou englobar rendimentos

Os proprietários com casas arrendadas, podem optar por isolar as rendas dos restantes rendimentos, (provenientes de trabalho e de pensões, por exemplo) e sujeitá-las a uma taxa autónoma de 28%, ou englobá-las, com os rendimentos obtidos com juros de depósitos e mais-valias.

A opção pelo englobamento ou pela tributação autónoma deve ser feita ao assinalar o campo 8 ou 9, respetivamente, do Anexo F da declaração de IRS.

Conheça as despesas com imóveis dedutíveis no IRS.

Limites de deduções à coleta no IRS 2016

A soma de todos os benefícios fiscais dedutíveis à coleta não pode ultrapassar os limites:

  • para contribuintes que, depois de aplicado o quociente familiar, tenham um rendimento coletável inferior a 7.035€: sem limite
  • para contribuintes que, depois de aplicado o quociente familiar, tenham um rendimento coletável superior a 7.035€ e inferior a 80.000€, o limite resultante da seguinte fórmula: € 1.000 + [(€2.500 - €1.000) x [ €80.000 - Rendimento Coletável ]] / € 80.000 - € 7.045
  • para contribuintes que, depois de aplicado o quociente familiar, tenham um rendimento coletável superior a 80.000€: 1.000€. ​
  • em agregados com 3 ou mais dependentes a cargo, os limites são majorados em 5% por cada dependente ou afilhado civil que não seja sujeito passivo do IRS.