Se é condutor, saiba como deve declarar um sinistro automóvel. Antes que seja confrontado com a situação, conheça os procedimentos. Até porque a participação começa no próprio local do acidente.

Não havendo feridos para tratar, os condutores envolvidos no acidente podem avançar logo para a declaração do sinistro. Isso é feito com um documento que deve andar sempre na viatura: a Declaração Amigável de Acidente Automóvel (DAAA).

Na DAAA os automobilistas indicam os intervenientes e respetivas seguradoras e fazem a descrição do sinistro, acompanhada de um esboço que retrate o que aconteceu. Mas se quer saber pormenores acerca de cada uma dos campos, veja como preencher a declaração amigável.

Ausência de declaração

Caso nenhum dos condutores tenha consigo uma DAAA, podem usar uma folha em branco. Não devem esquecer-se de identificar os dados dos condutores e dos veículos, os números das apólices de seguro e fazer uma descrição do acidente que descreva também os danos daí resultantes.

Se houver testemunhas, identifica-las também, incluindo a morada e o telefone.

Se for possível, tire fotografias da posição das viaturas e dos danos sofridos, que podem também ser anexadas ao processo.

Enviar a DAAA para a seguradora

Depois de preenchida, a DAAA só é válida quando assinada pelos intervenientes no sinistro automóvel. Feito isto, a declaração do sinistro começa de forma efetiva quando cada um dos condutores envia a declaração para a sua companhia de seguros. Deve fazê-lo até oito dias após o acidente.

Em caso de dúvidas…

Se algum dos intervenientes no sinistro se recusar a preencher a declaração amigável ou se não estiverem de acordo quanto à descrição do acidente, o melhor é chamar as autoridades. O auto de ocorrência vai ajudar a apurar as responsabilidades.

Viatura sem seguro

No caso de não conhecer a companhia de seguros de uma das viaturas envolvidas ou de não ter efetivamente qualquer seguro, deve ser acionado o Fundo de Garantia Automóvel.

Leia ainda o que fazer em caso de acidente automóvel.