Contrato Emprego Inserção +

O Contrato Emprego Inserção + é uma medida promovida pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional. Consiste na realização de trabalho socialmente necessário por parte dos desempregados.

Ao contrário do Contrato Emprego Inserção, nesta medida poderão ser incluídos os desempregados que não estejam a receber qualquer prestação social.

A quem se destina?

O Contrato Emprego Inserção + destina-se a beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) e a desempregados inscritos nos centros de emprego que não recebam qualquer prestação social. Mas apenas se se enquadrarem numa das seguintes situações:

  • Inscritos há pelo menos 12 meses;
  • Quando o cônjuge ou unido de facto também está desempregado;
  • Membro de família monoparental;
  • Vítima de violência doméstica.

Onde são colocados?

Os beneficiários do CEI+ podem realizar trabalho considerado socialmente necessário em autarquias locais, associações de solidariedade social ou outros serviços públicos. Este tipo de contrato pode ser promovido por entidades coletivas, públicas ou privadas sem fins lucrativas.

O que recebem os desempregados?

A quem integre um Contrato Emprego Inserção + é paga uma bolsa mensal de 419,22 euros (o valor do Indexante dos Apoios Sociais), acrescida de despesas de transporte, subsídio de alimentação (ou refeição) e um seguro que cubra os riscos associados ao exercício da atividade.

Qual a duração do CEI+?

A duração máxima de um Contrato Emprego Inserção + é de 12 meses.

CEI+ e procura ativa de emprego

Apesar de integrados numa atividade de trabalho socialmente necessário, os desempregados mantêm as suas obrigações de procura ativa de emprego. Para essa finalidade, ou para a realização de formação profissional, o CEI + prevê que faltem até 4 dias por mês.

Com estes CEI+, assim como com o Contrato Emprego Inserção, o Governo pretende promover a empregabilidade, melhorar as competências de quem está desempregado ajudando a manter o contacto com o mercado de trabalho e, simultaneamente, satisfazer as necessidades das entidades promotoras.