Como Transferir um PPR Para Outro Banco

Quando o rendimento fica aquém das expectativas, pode transferir um PPR de um banco para outro. Veja como transferir um PPR entre bancos e qual o tempo previsto para a operação.

Sobretudo para quem quer acautelar um futuro financeiro mais risonho, o Plano Poupança Reforma (PPR) é, habitualmente, uns dos produtos de poupança preferencial dos portugueses.

Transferência do PPR em 10 dias

O objetivo do PPR é investir as poupanças, ou parte delas, num instrumento que traga rentabilidade. Quando isso não se concretiza, ou não na medida em que desejaria, saiba que pode transferir o seu PPR para outro produto da mesma entidade ou mesmo para outro banco. Na totalidade ou parte dele.

Como se processa? É simples, desde que já tenha escolhido o destino do seu dinheiro. Feita a seleção do PPR que melhor se adequa aos seus objetivos, faça o pedido de transferência às duas entidades: a atual onde tem o PPR aplicado e aquela para onde o pretende transferir.

Deverá aguardar que a nova entidade gestora lhe envie, por escrito, uma proposta de contrato, confirmando que aceita a transferência das suas poupanças. A partir daí, o banco onde tem o seu PPR tem 10 dias úteis para transferir o valor total do PPR para a nova entidade. E não só. Deve ainda comunicar de forma clara as seguintes indicações:

  • Qual o valor das entregas por si efetuadas;
  • Quais as datas das entregas acima referidas;
  • Rendimento acumulado até ao momento no PPR.

Estas são as informações a enviar à entidade para onde decidiu transferir o PPR. Mas há também obrigações para com o cliente. No prazo de cinco dias úteis, o titular do plano deve também ser informado do valor que tinha acumulado nesse mesmo PPR até à data da transferência.

Comissões até 0,5% do valor

E esse valor poderá não ser exatamente o correspondente às entregas efetuadas e ao que já rendeu no produto financeiro. É que as entidades gestoras dos PPR podem cobrar uma comissão pela transferência, nunca ultrapassando o custo máximo de 0,5% do valor transferido. Apenas não o podem fazer no caso dos PPR sem garantia de capital e de rendibilidade.

Essa gratuitidade foi definida já em 2009, pelo novo regime jurídico dos Planos de Poupança Reforma, Planos de Poupança Educação e Planos de Poupança Reforma / Educação.