Para um consumidor atento, não é nenhuma surpresa que os supermercados contemplem os seus visitantes com estratégias de apelo ao consumo. Se existem estratégias bastantes óbvias, como as promoções, outras porém são tão subtis que é preciso ter muita atenção para não cair nelas.

1. Fazer o próprio trajeto

Os vendedores estão mais do que treinados na arte de colocar os produtos no espaço comercial, de uma forma que obrigue o consumidor a passar por todos eles. A razão pela qual os alimentos básicos como o leite e os ovos se encontram longe é mesmo essa: para o cliente passar por todas as secções e ser tentado a comprar coisas que não estão na sua lista.

2. Olhar para cima e para baixo

Os produtos a escoar estão geralmente à entrada do supermercado e nas prateleiras da direita, como a tendência da pessoa é conduzir pela direita e dado o facto da maior parte das pessoas ser dextra. Os produtos mais caros estão ao centro das prateleiras mesmo de caras para o consumidor, pelo que convém olhar para as alternativas, que estão em baixo ou em cima.

3. Fazer as contas

Os produtos de preço inteiro ( acabados em ,00) vendem menos do que os produtos de preços incompleto (acabados em ,99 por exemplo). Esta armadilha faz até que se comprem produtos mais caros, ao se levar para casa produtos que acabam em ,99 só por se pensar que é um preço inferior, em vez de produtos ,00 (que até são mais baratos).

4. Não olhar ao tamanho

Os carrinhos de compras são grandes. Os cestos de compras são grandes. Por causa disso, a pessoa tem a tendência de os encher, comprando mais do que aquilo que necessita. Opte por não levar cesto de compras, quando só precisa de alguns produtos.

5. Escolher a própria música

A música nos hipermercados e nas lojas de roupa não é inocente. Os estudos comprovam que uma pessoa tem mais vontade de comprar quando está bem disposta. Uma música de Natal incentiva ao espírito natalício, ou melhor, ao espírito das compras, e uma música animada nas lojas de roupa incentiva a juventude a andar, experimentar e decidir-se pela compra.

6. Resistir a tentações

Mesmo ao chegar à caixa, alguém colocou como que por milagre mais produtos tentadores para se levar. O tempo de espera leva a que muitas pessoas não resistam, e comprem guloseimas para matar a fome, por exemplo, mas resistir é um esforço final que se deve fazer, quando o objetivo é a poupança.