Por: João Paulo Moura

Cobertura do seguro contra todos os riscos

O seguro contra todos os riscos, ou seguro de danos próprios, oferece uma cobertura mais completa do que o seguro normal de responsabilidade civil.

O que cobre?

As coberturas do seguro contra todos os riscos dependem entre seguradoras, mas no geral elas resumem-se a:

  • responsabilidade civil que cobre danos a terceiros,
  • danos ao próprio (como riscos, mossas),
  • choque, colisão e capotamento,
  • furto ou roubo,
  • raios e explosão,
  • fenómenos da natureza,
  • incêndio,
  • quebra isolada de vidros,
  • perda total,
  • greves, tumultos e alterações de ordem pública,
  • atos de vandalismo e terrorismo,
  • veículo de substituição,
  • assistência médica,
  • assistência em viagem,
  • privação temporária do uso do veículo,
  • proteção jurídica,
  • garantia do valor em novo.

Seguro contra todos os riscos ou responsabilidade civil?

O seguro de responsabilidade civil é obrigatório e mais barato, enquanto o seguro contra todos os riscos é opcional, mais indicado a quem possuir uma viatura nova e desejar uma cobertura extensiva.

Este seguro cobre prejuízos sofridos no veículo, mesmo que o condutor seja o causador do acidente, consoante as coberturas escolhidas previamente e efetivamente contratadas.

A ponderar neste tipo de seguro está a franquia.

Seguro contra todos os riscos ou seguro de danos próprios?

o Instituto de Seguros de Portugal considerou a expressão seguro contra todos os riscos publicidade enganosa, já que nenhum seguro garante um cobertura total ao segurado, sendo assim abolido o uso da expressão no mercado dos seguros em 2010.

É possível contratar também um seguro contra fenómenos da natureza.