Benchmarking: definição, exemplos, tipos e vantagens

O benchmarking surgiu como uma tentativa de melhoria de práticas empresariais e de alcance de desempenhos superiores. Trata-se de uma ferramenta de comparação empresarial e de gestão de empresas, que começa com uma ávida pesquisa e termina com a implementação de ações específicas.

O que é o benchmarking?

A definição de benchmarking da Comissão Europeia diz-nos que este é um “processo contínuo e sistemático que permite a comparação das performances das organizações e respetivas funções ou processos face ao que é considerado o melhor nível, visando não apenas a equiparação dos níveis de performance mas também a sua superação”.

Desta definição é fácil perceber o significado de benchmarking. Este é um instrumento de melhoria de eficiência, onde uma empresa tem uma outra empresa (ou empresas) como ponto de referência, a qual investiga e compara consigo própria para descobrir onde pode melhorar os seus produtos, serviços ou práticas.

Exemplo de benchmarking

O melhor exemplo de benchmarking que se pode dar é o da Xerox, da qual se diz ter introduzido a prática no mundo empresarial, na década de 1970. A empresa norte-americana dedicava-se a desmontar os equipamentos das empresas japonesas suas concorrentes para descobrir como elas podiam vender os seus produtos a preços mais competitivos que os seus.

Outros exemplos de empresas que aplicaram com sucesso o benchmarking são a Ford, a AT&T, a Kodak e a Johnson & Johnson.

Tipos de benchmarking

Benchmarking genérico

O benchmarking genérico ou multissectorial procede à comparação de aspetos da funcionalidade das empresas para determinar as melhores práticas para uma área.

Benchmarking interno

Este tipo de benchmarking corresponde à procura das melhores práticas dentro da própria organização, olhando para os diversos departamentos e processos internos.

Benchmarking competitivo

Fala-se em benchmarking competitivo quando se tenta analisar as práticas dos concorrentes ao pormenor, para de seguida os superar.

Benchmarking funcional

Benchmarking relativo ao processo de trabalho das empresas, mesmo que de setores diferentes, analisando as funções das organizações (como a distribuição das empresas, por exemplo).

Benchmarking de cooperação

Benchmarking resultante da cooperação entre empresas, com troca de informação de processos entre empresas que geralmente possuem pontos fortes diferentes.

Vantagens

  • Ganhar conhecimento do mercado e melhorar a posição neste;
  • Identificar os pontos críticos de sucesso;
  • Melhoria da comunicação empresarial;
  • Melhoria do conhecimento interno da organização:
  • Profissionalização dos processos da empresa;
  • Diminuição de erros;
  • Redução de custos;
  • Aprimoramento de processos e práticas empresariais;
  • Identificação de objetivos e de prioridades;
  • Aumento da produtividade e do lucro;
  • introduzir novas formas de avaliação;
  • Maior orientação para o cliente.

Desvantagens

  • Limitar-se a copiar sistemas implementados poderá levar a fracos resultados
  • Possível perda de identidade da empresa.
  • Excesso de concentração na concorrência pode levar a falhas de serviço.
  • Possível distorção de dados das empresas a estudar.
  • Comparações mal realizadas podem ser prejudiciais à própria empresa.