6 Implicações do aumento do IAS em 2018

O IAS é, tal como o nome indica, o indexante dos apoios sociais, pelo que o aumento do IAS significa alterações em vários apoios sociais.

Com o aumento previsto de 1,8% em 2018, o IAS verá o seu valor fixado nos 428,90 euros, o que se traduz em alterações nas seguintes prestações sociais:

1. Aumento das pensões

No caso das pensões o valor do IAS é utilizado para delimitar os escalões, sendo que o primeiro escalão, que verá um aumento de 1,8% em 2018, terá este ano um teto de 857,8 euros (2 IAS). Os escalões superiores serão também alvo de aumentos.

2. Subida do abono de família e mudança de intervalos

Também no abono de família os escalões de rendimentos para calcular o direito ao apoio são calculados com referência ao IAS, aumentando assim os limites de cada escalão.

No entanto o abono de família é calculado com referência aos rendimentos de 2017, e por isso também em referência ao valor de IAS de 2017. Apenas notará a diferença quem vier a requerer a reavaliação dos rendimentos.

3. Novos valores do subsídio de desemprego

Os valores mínimo e máximo desta prestação são calculados em referência ao IAS. Neste caso o valor mínimo corresponde a 1 IAS, portanto 428,90 euros em 2018, e o limite máximo que corresponde a 2,5 IAS, será este ano de 1 072,25 euros.

O subsídio social de desemprego, que corresponde respetivamente a 100% ou 80% do IAS conforme se trate de beneficiários com ou sem agregado familiar, passa a ser de 428,90 euros ou 343,12 euros, respetivamente.

4. Maior subsídio de doença

O valor mínimo do subsídio de doença corresponde a 30% do valor do IAS, aumentando assim para os 128,67 (o valor pode ser inferior caso a remuneração de referencia seja inferior).

5. Aumento do rendimento social de inserção

O valor de referência do RSI é calculado com base no IAS, pelo que o aumento do IAS se traduz, por si só, num aumento no valor do RSI do próximo ano. Paralelamente, poderá ainda ser aumentada a percentagem de indexação ao IAS, o que se traduzirá num aumento ainda maior desta prestação social.

6. Maior isenção de taxas moderadoras

Têm direito à isenção de taxas moderadoras por insuficiência económica os utentes que integrem um agregado familiar com um rendimento médio mensal igual ou inferior a 1,5 IAS. No ano de 2018 esta fórmula corresponde a um valor de 643,35 euros, o que faz com que sejam abrangidos mais agregados familiares.