Podem cometer-se vários erros na gravidez, entre eles os financeiros. É uma nova realidade que requer muitos cuidados. Para evitar perder dinheiro, estes são os erros comuns a tentar travar na gravidez.

Não recorrer a apoios

Existem vários apoios sociais em Portugal antes e depois do nascimento aos quais as jovens mães podem e devem recorrer. Não fazer uso dos devidos apoios na gravidez equivale a deitar dinheiro fora.

Ignorar direitos

As grávidas têm os seus direitos durante a gravidez, assim como os pais. Ignorar os direitos que se tem na gravidez pode resultar em desentendimentos, despedimentos e outros tipos de perdas de dinheiro.

Esquecer seguros

Para cobrir despesas relativas à gravidez e ao parto existem seguros de gravidez no mercado. O próprio seguro de saúde geral já pode cobrir o parto, pelo que convém conhecer a fundo os seguros contratados.

Não poupar

É necessário poupar constantemente para diversas coisas, nem que seja por precaução, para possíveis emergências. No entanto, em altura de trazer ao mundo uma nova luz, a necessidade de poupar aumenta consideravelmente, exigindo esforços maiores por parte dos pais.

Não orçamentar

É difícil encarar um momento tão emocional como o nascimento de uma criança de forma racional, calculada ao pormenor. Contudo, convém estar atento às despesas de ter um filho e reformular o orçamento mensal com base nas novas necessidades.

Comprar tudo

Comprar tudo e mais alguma coisa, com muita antecedência, enchendo a casa de coisas que podem nunca ser utilizadas, é um erro comum dos jovens pais.

É verdade que algumas coisas essenciais devem ser compradas novas, mas outras podem ser emprestadas ou dadas por familiares. O ideal é comprar apenas no momento da necessidade, e gastar o dinheiro nas coisas que fazem de facto falta nessa altura.