Alguns truques nas etiquetas de preço levam-nos a gastar mais dinheiro do que pensamos e esperamos. Se o seu objetivo é poupar ao máximo, então deve estar atento a estes 5 pequenos truques nos preços.

Preços a acabar em .9, .90, .95 ou .99

Como se lê da esquerda para a direita, a tendência é memorizar o primeiro número e não o último. O charme deste truque é velho mas os estudos comprovam que as etiquetas assim marcadas vendem mais produtos do que as etiquetas de preços acabados em zeros.

Sem sinal de preço

O símbolo do euro afeta a perceção de gasto. Quando reparar em etiquetas sem o símbolo da moeda, com “10” em vez de “10€”, por exemplo, acautele-se: o vendedor não quer que associe um montante a um preço, na esperança que se esqueça do preço total que terá de desembolsar nas suas compras. O cérebro tem as suas formas de nos fazer gastar mais dinheiro.

Preço simples

Os preços redondos, com zeros, são mais atraentes ao consumidor do que os preços exatos. A tendência é maior em comprar um produto que baixou de 25,00€ para 19,00€ do que um produto que baixou de 24,98€ para 18,98€, simplesmente porque é mais fácil calcular o desconto.

Comprar 3 unidades por 10€

Comprar em quantidade pode compensar, mas também pode ser um desperdício de dinheiro. As táticas de preços de levar mais por menos só são compensatórias para o consumidor se ele realmente necessitar de comprar tantas unidades e se o preço da unidade efetivamente baixar.

Pague 1 leve 2

Alguns produtos também apresentam etiquetas de “pague 1, leve 2”. Os vendedores esperam que encha o carrinho de compras com estas ofertas. Mesmo que não precise de dois, ou do produto que tem de comprar para ter a oferta, o cliente leva na mesma só porque o segundo produto é gratuito.

Conheça mais armadilhas nas etiquetas de preços.