As razões pelas quais continua endividado são diversas. Identifique-as de seguida, se as suas receitas não chegam para pagar as despesas.

Não rever o orçamento

Quando as despesas aumentaram por algum motivo ou se ficou desempregado e perdeu a principal fonte de receita, deveria ter revisto o orçamento mensal. Não o fez? Então deverá estar a gastar mais do que aquilo que pode, juntando dívidas às que eventualmente tinha enquanto trabalhava.

Crédito para pagar crédito

Não vai conseguir inverter a tendência de endividamento se continuar a pedir crédito para pagar créditos anteriores. Não se esqueça que as entidades lhe emprestam mas cobram juros pelo dinheiro que adiantam. No final, terá bem mais a pagar do que aquilo que precisou.

Quando começa a falhar com as obrigações de pagamento, o melhor é tentar renegociar com as entidades credoras em vez de pedir mais dinheiro fora.

Consumo desenfreado

Continuar endividado também pode ter na base um consumo desenfreado de bens e / ou serviços. Quando o dinheiro não chega, não ceda a tentações. Gaste apenas naquilo que é essencial.

Abuso de cartão de crédito

Associado ao consumo, o cartão de crédito pode ser um inimigo de quem quer sair de uma situação de endividamento. Se quer usá-lo como forma de pagamento, utilize apenas a opção de pagamento das despesas na totalidade, aproveitando o período de crédito sem juros. Caso contrário, vai aumentar a dívida para com o banco.

Não pediu ajuda

Quando a situação financeira começou a complicar-se, teve vergonha e escondeu a situação. O endividamento pode ser evitado, minimizado ou mesmo invertido se procurar apoio. Por exemplo, junto da Rede de Apoio ao Consumidor Endividado.