5 dinâmicas de grupo para aumentar a motivação no trabalho

Existem dinâmicas de grupo simples e económicas que ajudam a melhor a comunicação entre os trabalhadores, promovem a troca de experiências, cultivam sentimentos de confiança e de pertença e aumentam a satisfação e produtividade dos seus colaboradores.

Se quer uma equipa coesa, fique atento a estas sugestões de dinâmicas.

1. Diz-me como sou

Objetivo

Identificar qualidades dos colegas e aspetos a melhor. Perceber que imagem transmito.

Material necessário

Folhas/cartolinas A4, canetas, fita-cola.

Dinâmica

O animador cola uma folha nas costas de cada participante, utilizando fita-cola. Cada um recebe uma caneta.

Quando o animador der sinal, os participantes escrevem nas costas uns dos outros aquilo que o animador sugerir, sem se identificarem.

Alguns exemplos:

  • Quais as melhores qualidades?
  • Que características pessoais poderiam ser melhoradas para facilitar o trabalho em equipa?
  • O que pensei quando te conheci (primeira impressão) e o que penso agora?
  • Razões porque gostaria ou não gostaria de trabalhar contigo.

Conclusão

No final, cada participante deve ler o que os colegas escreveram na folha que tinha nas costas.

Pode dinamizar-se um momento de partilha, dando oportunidade a cada um para que diga como se sentiu e o que aprendeu sobre a percepção dos outros sobre si.

Os participantes que queiram podem identificar e aprofundar a crítica que fizeram.

2. Quem escolhes

Objetivo

Avaliar se existem relações de empatia e cooperação entre os trabalhadores. 

Material necessário

Papéis com perguntas e recipiente para colocar os papéis.

Dinâmica

Cada participante é convidado a retirar um papel do recipiente. Cada papel tem inscrita uma pergunta, previamente preparada pelo animador. As perguntas podem estar repetidas, depende da criatividade do animador.

Alguns exemplos:

  • A quem pedirias ajuda para organizar uma festa?
  • Quem convidarias para te acompanhar a um evento de família?
  • A quem pedirias conselhos sobre um relacionamento difícil?
  • Quem faria o discurso se fosses receber um prémio?
  • Com quem falarias se estivesses a pensar despedir-te?
  • Quem levarias para uma ilha deserta?
  • Quem te pode aconselhar sobre uma mudança de visual?
  • Quem seria um bom apoio numa situação de doença?
  • Quem teria jeito para tomar conta dos teus filhos?
  • Que pessoa te acompanharia num retiro espiritual?

Os participantes leem as perguntas, pensam no colega mais capaz de executar a tarefa e partilham com o grupo as respostas e a justificação.

Conclusão

Muitos ficarão surpreendidos com as respostas dos colegas, percebendo que o valor que lhes é dado vai para além do local de trabalho.

Para os que não forem escolhidos por ninguém, em nenhuma das ocasiões, é uma oportunidade de refletirem sobre a superficialidade das relações que criaram com os seu colegas, cabendo ao animador incentivar os seus trabalhadores a terem relações mais próximas e humanas e a verem as valências do outro para lá do estritamente profissional.

3. O que sabes sobre mim

Objetivo

Aprender mais sobre os colegas de trabalho, descobrindo gostos, atividades e experiências em comum. Desenvolvimento de uma identidade de grupo e espírito de pertença.

Material necessário

Folhas, canetas, quadro/cartolina, prémio (rebuçados ou brinde).

Dinâmica

Cada participante recebe uma folha. Na folha escreve três afirmações sobre si, em que apenas uma é verdadeira. Deve assinalar qual é verdadeira.

As afirmações devem estar relacionadas com passatempos, gostos, características pessoais e experiências vividas.

Alguns exemplos:

  • Já fiz queda-livre
  • Sou adepto do Futebol Clube Paços de Ferreira
  • Tenho medo de ficar careca
  • Fui atleta federado de orientação
  • Sou fã dos filmes da saga Star Wars
  • Tenho uma coleção de selos
  • Sou alérgico ao amendoim

À vez, os participantes levantam-se e leem as três afirmações, para que os colegas adivinhem qual é verdadeira.

Depois de refletirem, os participantes votam com o braço no ar e apontam-se os resultados no quadro/cartolina. Ganha a pessoa cujas afirmações confundirem mais colegas.

Conclusão

Os participantes compreenderão que sabem muito pouco uns sobre os outros, apesar de passarem tantas horas do dia juntos.

Também descobrirão gostos em comum e experiências de vida semelhantes, o que permitirá desenvolver um sentimento de identidade e pertença.

4. Passado, presente e futuro

Objetivo

Falar sobre progresso individual e partilhar expectativas e ambições em relação ao futuro na organização

Material

Revistas e jornais, tesouras, folhas, cola.

Dinâmica

Cada participante é convidados a refletir sobre o seu passado, presente e futuro como trabalhador da organização.

Individualmente, procuram nas revistas e nos jornais imagens que representem o passado, o presente e o futuro, recortam-nas e colam-nas numa folha.

Por fim, cada participante mostra a sua folha e partilha com os demais como vê o seu progresso na empresa e quais as suas expectativas e ambições para o futuro.

Conclusão

O animador terá oportunidade de identificar que trabalhadores estão ou não motivados e de perceber que expectativas os seus colaboradores depositam na organização como veículo de realização pessoal.

Através da dinâmica, os participantes terão oportunidade de analisar o seu percurso, percebendo se cresceram ou estagnaram e que direção pretendem seguir.

5. Quem faz mais falta

Objetivo

Identificar que cargos, funções e tarefas da organização os participantes consideram ter mais valor e utilidade. Incentivar a auto-confiança de cada trabalhador e promover o diálogo assertivo.

Material

Pequena área de jogo delimitada no chão.

Dinâmica

Os participantes são conduzidos à área de jogo, um pequeno retângulo desenhado no chão, com pouco espaço para todos.

Aí é-lhes dito que o retângulo é uma jangada e que a jangada representa a organização. É explicado que estão à deriva em alto mar e que a jangada vai afundar porque tem muito peso.

Para que a jangada não se afunde e alguns deles sobrevivam têm de expulsar pessoas da jangada até permanecerem apenas 3. Para expulsar alguém da jangada é preciso unanimidade.

Conclusão

Ao longo da dinâmica cada participante defende o seu cargo, tarefa, função, explicando porque é indispensável que permaneça na jangada.

O animador poderá observar como comunicam os trabalhadores, quem exerce influência sobre os demais e quem tem dificuldades em ver o seu próprio valor, atitude que deve ser contrariada.

Veja também os artigos Como criar um espírito de equipa no trabalho e 5 Características de uma boa equipa de trabalho.