Seguro de Vida: Como Funciona?

O seguro de vida é um seguro que cobre o risco de morte ou de sobrevivência de uma ou várias pessoas seguras. Pode também incluir coberturas complementares, como o risco de invalidez ou acidente.

No seguro de vida que cobre o risco de morte, o segurador paga ao beneficiário nomeado pela pessoa segura um capital previamente acordado.

No seguro de vida que cobre o risco de sobrevivência (seguro em caso de vida), se a pessoa segura se encontrar viva no final do contrato, o segurador é obrigado a pagar ao beneficiário o capital acordado (aqui o beneficiário já pode ser a pessoa segura).

Razões para fazer um seguro de vida

  • Se não tem ninguém a seu encargo torna-se desnecessário fazer um seguro de vida. No entanto, se os seus filhos, cônjuge ou família dependem de si financeiramente o caso é totalmente diferente. Em caso de acidente, invalidez ou mesmo morte, o capital do seguro será um substituto na ausência de rendimentos, sendo atribuído aos beneficiários por si indicados.
  • Os compromissos financeiros constituem uma forte razão para adquirir um seguro de vida. É uma exigência dos bancos, como garantia de crédito. O caso dos empréstimos para a compra de habitação é um exemplo, onde os bancos exigem a realização de um seguro de vida temporário, renovável anualmente até ao final do empréstimo. Com o seguro de vida o valor a pagar pelo empréstimo é reduzido. Nesta situação o agregado familiar não está envolvido.

Onde fazer um seguro de vida

O seguro de vida é facilmente adquirido. Pode comprar pela Internet (onde pode fazer simulações de preços), no balcão do seu banco, na sua seguradora ou através de agentes autorizados.

Dicas para fazer um seguro de vida

  • Pense quais os elementos da família devem ser segurados, incluindo os que possam causar problemas se ficarem privados de rendimentos.
  • Investigue no seu emprego se existe algum plano de seguros melhor. As empresas conseguem por norma preços mais baixos, já que fazem negócios em quantidade.
  • Quando escolher a seguradora analise a capacidade financeira e a credibilidade dessa empresa (ela pode ser a garantia da sua família), tenha em conta qual o tipo de seguro mais indicado para si e qual o montante certo (equacione os gastos anuais do agregado familiar, tentando cobrir esse valor).
  • Tenha em atenção que nem tudo está incluído num seguro de vida: doenças já existentes, corridas de velocidade e desportos radicais são alguns exemplos de exclusão neste tipo de seguro.
  • Analise todas as condições da apólice e procure por taxas escondidas que podem encarecer o seu preço.

Dicas na manutenção de um seguro de vida

  • Quando os filhos forem crescidos, ou se o cônjuge tiver rendimentos, pode baixar o valor da apólice porque já não dependem tanto de si.
  • Faça exercício regularmente e olhe pela sua saúde: o preço das apólices baixa consoante a forma física (não fumar, não beber álcool e perder peso pode baixar 50% da apólice).
  • Negociei as melhores condições com a seguradora, visto elas não oferecerem descontos por iniciativa própria e tenha em atenção outros produtos que lhe queiram vender que podem ser uma despesa extra desnecessária.
  • De tempos em tempos reveja as condições, porque as condições ajustadas este ano podem não ser as melhores daqui a alguns anos.
  • Informe os seus familiares do seguro, pois eles não vão adivinhar que tinha adquirido um seguro de vida em caso de infortúnio e não vão beneficiar com ele se o mantiver em silêncio.
Atualizado em 16/04/2013
Economias, informação útil para o seu dia-a-dia. © 2013-2014 7Graus